Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Quadragésimo segundo segredo da prosperidade



Quadragésimo segundo segredo da prosperidade

Flexibilidade

Durante 5 mil anos de história documentada houveram apenas 30 anos de paz na Terra. Isso se considerarmos o que foi documentado. Podem ter havido guerras entre tribos de que nunca se ouviu falar. Mas, vamos ficar com os 30 anos em 5 mil. Em todos os 5 mil anos aconteceram assassinatos, roubos, estupros, etc. Em Atenas a 2500 anos quando uma pessoa visitava outra e sai de noite um escravo era chamado para acompanhar o visitante até sua casa, pois era perigoso andar de noite em Atenas. E Atenas tinha 30 mil pessoas livres, fora os escravos.

Portanto, crises, guerras, revoluções, crimes, são o normal do dia a dia desta humanidade. É preciso conviver com isso se quisermos progredir apesar de tudo isso. Toda crise é uma oportunidade de crescimento. É preciso saber olhar as oportunidades.

Se voltássemos no tempo apenas 40 anos, que é metade de uma vida humana e soubéssemos os acontecimentos que ocorreriam o que seria possível fazer em termos de prosperidade? A pessoa saberia onde investir, onde não investir, o que inventar, o que criar, como se proteger, etc. Em apenas 40 anos de história seria possível ter um crescimento exponencial. Volte 40 anos atrás e veja qual a situação em 1970. O que estudaria? O que leria? Em que trabalharia? Em que investiria? 

Todos os Cisnes Negros (eventos imprevisíveis) são previsíveis de alguma forma. É possível ganhar e crescer com os Cisnes Negros. A história documentada é vasta. Não há mais surpresas. É pura lógica. Se a pessoa estudar a história verá uma repetição sem fim das mesmas situações. Isso é absolutamente previsível. Mas, é preciso enxergar, ter olhos para enxergar, e querer enxergar. Na sua mente é possível voltar no tempo e refazer todos esses anos fazendo os investimentos corretos e estudos corretos. Isso terá um enorme impacto psicológico daqui para a frente. Mudará a visão de mundo. Já sabem que está técnica pode mudar todos os traumas do passado, bastando voltar na origem e mudar a sua reação ao evento. Mudar de negativo para positivo.

Numa vida é preciso ter duas ou três profissões ou atividades. Com todas as coisas que acontecem como descrito acima é extremamente necessário abordar os problemas com flexibilidade. Estudar para 3 profissões. Ter sempre a opção de ser autônomo, não depender de empregos. Pensar grande. Olhar todas as oportunidades que estão à volta. Pensar nos mercados que ainda não existem. Compare o mundo de 1970 com o de hoje! E estamos falando de apenas 40 anos de vida. Deixar qualquer visão negativa de lado e focar no positivo, em crescer, trabalhar, estudar, ajudar, que as portas se abrem sempre. A mente de qualquer pessoa é capaz o tempo todo de criar as oportunidades. Basta apenas aproveitar essas oportunidades. Se não ganha de um jeito ganha de outro. Flexibilidade e adaptação.

domingo, 1 de maio de 2016

Prosperidade e Alquimia I



Prosperidade e Alquimia I

Como estão ligadas a prosperidade e a alquimia? Normalmente se vê a Alquimia como um processo hermético em que se fala de transmutação de materiais. A Alquimia trata da transmutação interior do ego em busca da individuação. Quando o ego e o Self se tornam um só. É quando a pessoa pode dizer: Eu Sou Eu Sou. Nesse ponto houve a unificação. Isso deve ser sentido para ser real. Para que isso possa acontecer a pessoa deve deixar que aconteça. Ela deve desejar a unificação e assim permitir (dar um comando) para que a mente e o coração aceitem o Eu Sou.

Quando isso acontece a prosperidade em todos os sentidos não terá mais limites. A individuação abre as portas para que toda energia possa ser transmutada em outra energia. Essa é uma transformação alquímica. Um elemento pode ser tornar outro mudando-se a energia primordial de que ele é composto. O que chamavam de prima matéria. O oceano primordial de energia de onde tudo emerge. Quando algo é tratado sem sua forma material, mas sim considerando sua prima matéria, essa transmutação é possível.

Existe uma única Psique. Todas as demais compartilham da mesma fonte. O que diferencia é o ego de cada um que é uma parte da Psique. Essa Psique original é o Self. A Alquimia trata da unificação do Ego com o Self. 

Para que isso ocorra são necessárias várias etapas de procedimentos. Analisaremos cada etapa. O estudo da Alquimia é da maior importância, pois é através dela que poderemos entender a Psique. Teremos então um Mapa do Território. É possível saber como pensa e sente o Self através da Alquimia. Por isso foi tão estudada no passado e só era passada para iniciados, tal a importância do seu conhecimento.

Nesta etapa crucial da história da humanidade é fundamental que o maior número possível de pessoas entenda o que é a Alquimia. Então a prosperidade será realmente uma realidade.

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Quadragésimo primeiro segredo da prosperidade



Quadragésimo primeiro segredo da prosperidade

Recompensas

Se o crescimento ininterrupto é desconfortável porque crescer?

A recompensa do crescimento é o próprio crescimento. Isso é como o Tao, para ser entendido tem de ser sentido. E para sentir é uma experiência pessoal. Não dá para transferir em palavras. Mas, vamos tentar dentro do que é possível em termos linguísticos. 

Uma vez perguntaram para um soldado que participou de uma grande batalha da Segunda Guerra Mundial como tinha sido. Ele respondeu que foi “espetacular”. Isso na verdade é o Zen. O estar vivo aqui e agora. Totalmente focado no momento presente. Essa é uma realização suprema. Qualquer coisa que faça com que fiquemos focados, entremos em fluxo com o Universo, traz um êxtase tão grande que é difícil explicar.

O crescimento acelerado em qualquer área também faz isso. Para crescer é preciso focar totalmente. Esse crescimento acelerado na verdade é uma situação de tudo ou nada. O risco é sempre de tudo ou nada. Um empresário que está empreendendo algo maior do que tudo que já fez coloca em risco tudo o que tem. Isso é inerente ao crescimento. Esse viver no risco é extremamente prazeroso. É o que o alpinista sente. Qualquer profissão de risco oferece esse retorno de prazer sem fim. Faz parte da bioquímica ter os neurotransmissores necessários para enfrentar o risco. Esses neurotransmissores é que dão o prazer, a realização, a felicidade, a coragem, a determinação, a sociabilidade, a união entre duas pessoas ou mais (todo time de futebol ou esporte coletivo sente isso), etc.

Desta forma a recompensa é o próprio crescimento. Porém, existe um prazer maior que isso. Que é o prazer de contribuir para o Plano do Todo. Toda pessoa sente prazer de fazer um serviço bem feito e ser reconhecido. Toda a hierarquia militar está baseada nisso. A pessoa tem um superior a quem deve obediência irrestrita. Isso faz com que fique focado sempre. Como sempre dizem: foi uma honra servir com o Sr. Essa honra é o sentimento de equipe, de pertencer a algo maior que si mesmo. De servir para o bem maior. Se isso já provoca prazer numa coisa de humanos, imagine o que é servir o Todo! É simplesmente indescritível o prazer que se sente e a camaradagem existente entre os que O servem.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Quadragésimo segredo da prosperidade




Quadragésimo segredo da prosperidade

Querer crescer sempre

Existe uma questão fundamental na vida. O crescimento e evolução é um imperativo. Qualquer sentimento contra isso é um problema sério. É preciso avaliar os desejos profundos. Se realmente a pessoa deseja crescer ou quer ficar num determinado ponto e está bom. Ficar na zona de conforto. Por mais desconfortável que esteja.

Os resultados sempre mostram os desejos profundos. Se a pessoa deseja intensamente algo as portas se abrem para que isso se realize. Então é preciso trabalhar muito e estudar muito. Diversificar e ser flexível. Inovar sem parar. Criar duas ou três profissões diferentes durante a vida. Nunca estacionar. 

A questão é que os reais desejos são tão profundamente enterrados para racionalizar as atitudes que chega num ponto em que a própria pessoa acredita no que quer acreditar. Esse risco sempre existe. Criar as próprias crenças e depois acreditar no que se criou. Fora da realidade.

Quando se tem todos os recursos que se precisa porque não há crescimento? Porque o desejo profundo não é esse. Existe alguma limitação filosófica, existencial, metafísica ou qualquer outro tipo de influência desde a infância que cria a resistência? É preciso olhar para dentro de si profundamente e aceitar o que vê. Só então é possível crescer. Senão a coisa não anda e achamos inúmeras explicações racionalizadas para esconder o real problema. É preciso decidir se queremos crescer ou não. E então sermos coerentes com essa escolha. O que não dá é escolher não crescer e depois reclamar que não cresce. O livre arbítrio permite a pessoa escolher o que quiser, mas deve ser coerente com isso. “A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória”.

Crescer é uma escolha que implica em consequências. Trabalhar mais, estudar mais, exige que esse tempo seja tirado de outra coisa que fazíamos. O tempo é limitado. Por isso uma opção tem de ser feita. Crescer implica em sair da zona de conforto o tempo todo. Não há um só dia confortável. Sempre estaremos atuando no desconhecido, pois estamos crescendo sem parar. O conhecido só existe na zona de conforto. Se a pessoa sempre vendeu um número fixo de produtos esta é a zona de conforto dela. Se passar disso já está no desconhecido e desconfortável. E quanto mais vende mais desconhecido vai ficando. Esta é a dinâmica do crescimento. Sempre atuando no desconhecido.

Crescer é uma escolha. Não existe nada impedindo o crescimento. O crescimento acontece em qualquer circunstância. As oportunidades são infinitas.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Trigésimo nono segredo da prosperidade



Trigésimo nono segredo da prosperidade

Eliminar a rejeição ao dinheiro

Uma criança vê seus pais sempre discutindo por causa de dinheiro. A que conclusão chega? Que se não houvesse dinheiro eles não discutiriam e haveria paz. Tudo ficaria bem. O subconsciente desta criança chega a essa conclusão lógica. Pura lógica aristotélica. A partir deste momento essa criança rejeita o dinheiro. Quer apenas o suficiente para sobreviver. A criança cresce e como adulto precisa ganhar dinheiro para sobreviver. O comando que ela deu na infância continua ativo. Sua crença é de que dinheiro é ruim e deve ser mantido longe. Se não houver dinheiro tudo fica em paz. Tudo o que faz não traz dinheiro. Apenas o suficiente para sobreviver. Desta forma os problemas aparecem cada vez mais. Só sobreviver não é suficiente, pois a pessoa se casa e tem compromissos. É preciso melhorar de vida, mas tudo que faz dá errado. A crença continua atuando. Afastar o dinheiro trará paz. O problema é que isso é apenas uma crença. Não é a verdade. É só o que aquela criança tirou de conclusão lógica ao ver as discussões dos pais. Se os pais discutissem por galinhas a conclusão seria que deveriam exterminar as galinhas. Se fosse por pneu seria a mesma coisa e assim por diante. 

Toda crença aceita passa a dominar a vida da pessoa. A consciência, a crença, o que ela acredita é o que cria a realidade daquela pessoa. Não importa se é verdade ou não. Todos os atos, pensamentos e sentimentos são guiados pelas crenças. O que essa pessoa tem de fazer? Tem de trocar de crença e gostar de ganhar dinheiro. Que é apenas um meio mais fácil de fazer trocas. Se tivéssemos de levar galinhas no barbeiro seria muito complicado! Por isso escambo nunca funcionou. Em nenhuma civilização houve escambo como uma coisa funcional e generalizada. O que havia era um sistema de débitos e créditos. Mas, isso é outro assunto. A questão aqui são as crenças.

Enquanto a rejeição não for eliminada a pessoa continuará criando as situações para não ganhar, para perder, para continuar na zona de conforto, a não ganhar dinheiro, a não investir, a continuar satisfeito com o salário que tem, a fazer dívidas, não fazendo o que gosta, sem ter objetivos, sem poupar antes de gastar, acredita que ganhar está fora da sua capacidade, etc. Tudo isso são criações da mente para que o que a pessoa quer (ficar longe de dinheiro) aconteça. E isso é apenas uma crença. É preciso que a pessoa olhe bem para dentro de si e veja o que pensa sobre dinheiro, prosperidade, crescimento, evolução, melhoria, etc. E aceite o que vê honestamente para poder começar a mudar. 

Ou então aceite as crenças que tem e pare de reclamar que não ganha dinheiro. O que é inviável é rejeitar o dinheiro e ainda reclamar que não ganha dinheiro. Isso é total incoerência. Todos são livres para fazerem o que quiserem, mas devem ser coerentes com as escolhas que fazem.

Vejamos um exemplo: uma senhora está tendo dificuldades para vender o serviço que normalmente faz. Tem de pagar o aluguel. O que fazer? Recebeu a sugestão de vender bolos (qualquer coisa serve, mas vamos usar o exemplo dos bolos). Ela compra o bolo a 40 reais e vende em pedaços por 63 reais. Lucro de 23 reais por bolo. Se vender 10 bolos por dia terá 230 reais de lucro por dia, multiplicado por 26 dias de trabalho no mês dá 5980 reais por mês. Isso de lucro! No primeiro dia saiu e vendeu facilmente um bolo inteiro aos pedaços. Até deram sugestão de onde poderia vender mais. Os bolos já estão prontos, ela compra e vende aos pedaços. Poderia incluir outros doces, café, etc. Ela está aumentando a freguesia no momento. Tem outro caso de um jovem que começou a vender brigadeiros e teve tanto sucesso que teve de tomar a decisão de ou estudar ou vender brigadeiros. Preferiu estudar, mas se vendesse teria sua independência com certeza. Se depois desta postagem muita gente resolver vender bolo ela não terá problemas. Passará a vender outra coisa ou outro serviço. Não há escassez de oportunidades neste universo. Inventa um produto ou serviço. Ler e pesquisar. Muita coisa já está escrita nos livros. Regras, ideias, técnicas, etc. Existem milhares de livros falando sobre ganhar dinheiro. A questão é fazer. Dá trabalho? Sim, mas é pelo trabalho que nós nos desenvolvemos. Se um atleta não trabalhar (fizer exercícios) como desenvolverá o seu potencial? Ou um pianista?

Existem muitos exemplos de que é possível ganhar se a pessoa estiver disposta a fazer o que é preciso. Trocar as crenças sobre ganhar dinheiro é fundamental. É preciso lutar pela independência financeira.

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Carta do Chefe Seattle

Carta do Chefe Seattle


“Como você pode comprar ou vender o céu, o calor da terra? A ideia é estranha para nós. Se nós não somos donos da frescura do ar e do brilho da água, como você pode comprá-los? Cada parte da Terra é sagrada para mim e o meu povo.

Cada pinha brilhante, cada praia de areia, cada névoa nas florestas escuras, cada inseto transparente, zumbindo, é sagrado na memória e na experiência de meu povo. A energia que flui através das árvores traz consigo a memória e a experiência do meu povo. A energia que flui pelas árvores traz consigo as memórias do homem vermelho.

Os mortos do homem branco se esquecem da sua pátria quando vão caminhar entre as estrelas. Nossos mortos nunca se esquecem desta bela Terra, pois ela é a mãe do homem vermelho. Somos parte da Terra e ela é parte de nós.

As flores perfumadas são nossas irmãs, os cervos, o cavalo, a grande águia, estes são nossos irmãos. Os picos rochosos, as selvas nas campinas, o calor do corpo do pônei, e o homem, todos pertencem à mesma família.

Assim, quando o Grande Chefe em Washington manda dizer que quer comprar nossa terra, ele pede muito de nós. O Grande Chefe manda dizer que reservará para nós um lugar onde poderemos viver confortavelmente. Ele será nosso pai e nós seremos seus filhos. Então vamos considerar sua oferta de comprar a terra. Mas não vai ser fácil. Pois esta terra é sagrada para nós.

A água brilhante que se move nos riachos e rios não é simplesmente água, mas o sangue de nossos ancestrais. Se vendermos a terra para vocês, vocês devem se lembrar de que ela é o sangue sagrado de nossos ancestrais. Se nós vendermos a terra para vocês, vocês devem se lembrar de que ela é sagrada, e vocês devem ensinar a seus filhos que ela é sagrada e que cada reflexo do além na água clara dos lagos fala de coisas da vida de meu povo. O murmúrio da água é a voz do pai de meu pai.

Os rios são nossos irmãos e saciam nossa sede. Os rios levam nossas canoas e seus peixes alimentam nossas crianças.

Se vendermos nossa terra para vocês, vocês devem lembrar-se de ensinar a seus filhos que os rios são irmãos nossos, e de vocês, e consequentemente vocês devem ter para com os rios o mesmo carinho que têm para com seus irmãos.

Nós sabemos que o homem branco não entende nossas maneiras.

Para ele um pedaço de terra é igual ao outro, pois ele é um estranho que chega à noite e tira da terra tudo o que precisa. A Terra não é seu irmão, mas seu inimigo e quando ele a vence, segue em frente. Ele deixa para trás os túmulos de seus pais, e não se importa. Ele sequestra a Terra de seus filhos, e não se importa.

O túmulo de seu pai, e o direito de primogenitura de seus filhos são esquecidos. Ele ameaça sua mãe, a Terra, e seu irmão, do mesmo modo, como coisas que comprou, roubou, vendeu, como carneiros ou contas brilhantes. Seu apetite devorará a Terra e deixará atrás de si apenas um deserto. Não sei!

Nossas maneiras são diferentes das suas. A visão de suas cidades aflige os olhos do homem vermelho. Mas talvez seja porque o homem vermelho é selvagem e não entende. 

Não existe lugar tranquilo nas cidades do homem branco. Não há onde se possa escutar o abrir das folhas na primavera, ou o ruído das asas de um inseto.

Aurora boreal em terras indígenas do norte da América

Mas talvez seja porque eu sou um selvagem e não entendo. A confusão parece servir apenas para insultar os ouvidos. E o que é a vida se um homem não puder ouvir o choro solitário de um curiango ou as conversas dos sapos, à noite, em volta de uma lagoa.

Sou um homem vermelho e não entendo. O índio prefere o som macio do vento lançando-se sobre a face do lago, e o cheiro do próprio vento, purificado por uma chuva de meio-dia, ou perfumado pelos pinheiros.

O ar é precioso para o homem vermelho, pois todas as coisas compartilham o mesmo hálito – a fera, a árvore, o homem, todos compartilham o mesmo hálito.

O homem branco parece não perceber o ar que respira. Como um moribundo há dias esperando a morte, ele é insensível (ao seu próprio) mau cheiro. Mas se vendermos nossa terra, vocês devem se lembrar de que o ar é precioso para nós, que o ar compartilha seus espíritos com toda a vida que ele sustenta. 

Mas se vendermos nossa terra, vocês devem mantê-la separada e sagrada, como um lugar onde mesmo o homem branco pode ir para sentir o vento que é adoçado pelas flores da campina.

Assim, vamos considerar sua oferta de comprar nossa terra. Se resolvermos aceitar, eu imporei uma condição – o homem branco deve tratar os animais desta terra como se fossem seus irmãos. Eu sou um selvagem e não entendo de outra forma.

Vi mil búfalos mortos e apodrecendo na pradaria, abandonados pelo homem branco que os matou da janela de um trem que passava. Sou um selvagem e não entendo como o cavalo de ferro que fuma pode se tornar mais importante que o búfalo, que nós só matamos para ficarmos vivos.

O que é o homem sem os animais?

Se todos os animais acabassem, o homem morreria de uma grande solidão do espírito. Pois tudo o que acontece aos animais, logo acontece ao homem. Todas as coisas estão ligadas.

Vocês devem ensinar a seus filhos que o chão sob seus pés é as cinzas de nossos avós. Para que eles respeitem a terra, digam a seus filhos que a Terra é rica com as vidas de nossos parentes. Ensinem aos seus filhos o que ensinamos aos nossos, que a Terra é nossa Grande Mãe.

Tudo o que acontece à Terra, acontece aos filhos da Terra. Se os homens cospem no chão, eles cospem em si mesmos.

Isto nós sabemos – a Terra não pertence ao homem – o homem pertence à Terra. Isto nós sabemos. Todas as coisas estão ligadas como o sangue que une uma família. Todas as coisas estão ligadas.

Tudo o que acontece à Terra – acontece aos filhos da Terra. O homem não teceu a teia da vida – ele é meramente um fio dela. O que quer que ele faça à teia, ele faz a si mesmo.

Mesmo o homem branco, cujo Deus anda e fala com ele como de amigo para amigo, não pode ficar isento do destino comum. Podemos ser irmãos, afinal de contas. Veremos.

De uma coisa nós sabemos e que o homem branco pode um dia descobrir – o nosso Deus (das tribos pele vermelha da América do Norte) é o mesmo Deus.

Vocês podem pensar agora que vocês O possuem como desejam possuir nossa terra, mas vocês não podem fazê-lo.

Ele é o Deus do homem, e Sua compaixão é igual tanto para com o homem vermelho quanto para com o branco (ou para o negro, o amarelo, não importa a cor da “vestimenta de pele”).

A Terra é preciosa para Ele, e danificar a Terra é acumular desprezo por seu criador. Os brancos também passarão, talvez antes de todas as outras tribos.

Mas em seu desaparecimento vocês brilharão com intensidade, queimados pela força do Deus que os trouxe a esta terra e para algum propósito especial lhes deu domínio sobre esta terra e sobre o homem vermelho.

Esse destino é um mistério para nós, pois não entendemos quando os búfalos são mortos (em excesso), os cavalos selvagens são domados, os recantos secretos das florestas carregados pelo cheiro de muitos homens, e a vista das montanhas maduras manchadas por fios que falam.

Onde está o bosque? Acabou.

Onde está a águia? Acabou.

É o fim dos seres (realmente) vivos e o começo da sobrevivência. ”

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Trigésimo oitavo segredo da prosperidade



Trigésimo oitavo segredo da prosperidade

Nosso negócio é o risco

Todo empreendedor deve saber que qualquer negócio envolve riscos de inadimplência. Isso é inevitável. A questão é saber o que fazer com ela. Uma regra básica de convivência civilizada é pacificar em vez de agredir. É preciso pacificar os negócios para que possamos fazer negócios. 

A paz é ótima para os negócios. E o contrário é ruim para os negócios.

Toda ação que cria mais animosidade prejudicará os negócios de ambas as partes. É preciso pensar muito antes de tomar qualquer atitude agressiva em relação à inadimplência. Depois é tarde para consertar. 

Está claro que essa visão de mundo é contrária ao que normalmente acontece. Vivemos num mundo de olho por olho e dente por dente. Acontece que isso é muito ruim para os negócios. E quem está nos negócios deve priorizar os negócios e não a retaliação. Nunca colocar os demais numa posição sem saída. Todo negociador competente sabe disto.

É fundamental compreender que a consciência cria a realidade. Se a pessoa pensa em dívidas elas aumentarão. Se pensa em ganhar dinheiro ganhará dinheiro. O foco onde colocamos a consciência é onde temos resultados. Se a pessoa ficasse preocupada com a conta de luz e deixasse de ir trabalhar o que aconteceria? É óbvio. Mas, é o que acontece na prática quando a pessoa só pensa nas dívidas e deixa de pensar em ganhar dinheiro. Ganhando paga as dívidas. A racionalização de que tem de pensar nas dívidas é uma ilusão da mente. Por mais que puxemos pelos próprios cabelos não sairemos do fundo do poço! Somente focando nas alternativas e trabalhando duramente é que ganharemos o dinheiro que precisamos. As oportunidades são praticamente infinitas, mas é preciso ter olhos para ver. E fazer a escolha certa e agir.

Portanto, a inadimplência faz parte do negócio. Deve-se conviver com ela. Como se convive? Trabalhando mais, produzindo mais, vendendo mais, visitando mais clientes, fazendo contatos, etc. Pondo o foco em gerar mais prosperidade. Sem ficar pensando em como podemos retaliar contra os inadimplentes. Existe uma profunda sabedoria metafísica nesta atitude de pacificação.

Pacificar é a única forma de criar as condições propícias para se evoluir em tudo.

domingo, 10 de abril de 2016

Trigésimo sétimo segredo da prosperidade



Trigésimo sétimo segredo da prosperidade

Eliminar o desmerecimento

Uma jovem tenta comprar um ingresso para um show de música. Liga para os conhecidos atrás do ingresso. Seguidamente ouve que não tem, mas uma fala que conhece quem tem. Em segundos ela liga e ouve que acabou de vender. Sete vezes seguidas acontece isso até que ela percebe que é ela que está fazendo isso consigo mesma. Ela não se sente merecedora de ser feliz. Isso acontece em todas as áreas da vida dela. Esse acontecimento serviu para ela descobrir isso. Levou muito tempo, mas agora entendeu isso. Basta voltar na origem da crença emocional e refazer a emoção daquele momento. Mudando o pensamento e a emoção a vida dela mudará. Daqui para a frente os acontecimentos serão condizentes com a nova crença que tem. Agora ela sabe que merece e sente isso. A realidade segue os sentimentos que temos.

Seguidamente isso acontece com inúmeras pessoas. Vendedores que não conseguem fechar um negócio. Abrem inúmeros negócios e nada fecha. Nada dá certo. Se a pessoa sente que não merece crescer, evoluir, ter dinheiro, ser feliz no relacionamento, etc. ela atrairá essa situação sem parar. Esse sentimento está no inconsciente, mas se a pessoa parar para analisar ela perceberá isso. Esta jovem percebeu isso sozinha. Ela queria muito o ingresso e fez todas as tentativas para obtê-lo. Até chegar na situação de que a próxima pessoa para quem ligaria tinha o ingresso. Era impossível não o conseguir. E não conseguiu! Na sétima vez ela parou para pensar e percebeu! Todas as pessoas podem fazer isso. Podem perceber as crenças que tem pelo que acontece nas próprias vidas.

Muitas vezes isso acontece porque a própria pessoa fez afirmações de que não quer crescer, evoluir, ter prosperidade e etc. A própria pessoa cria as crenças que ela tem. Analise bem o que ouviu na infância, na escola, o que lê, o que assiste, etc. As crenças entram sutilmente, mas depois governam a vida da pessoa inevitavelmente. Porque as coisas acontecem de um jeito e não de outro? Porque uns progridem e outros não? Porque uns atraem relacionamentos felizes e outros não? Basta a pessoa se perguntar: porque estou criando isso na minha vida? Foi o que ela se perguntou! Porque estou fazendo isso comigo? E a resposta veio e a causa do desmerecimento também veio no mesmo dia! Resolvido!

Tudo na vida são escolhas que dependem das crenças que temos. Crenças sobre tudo. Negócios, estudos, trabalho, divertimentos, esportes, relacionamentos, etc. Tudo que fazemos é conduzido por alguma crença. E todos os acontecimentos que julgamos externos também. Se a pessoa acha que dinheiro é sujo ou que não merece ou que não ter é bom, etc. ela criará as condições para os negócios não darem certo, não vender, escolher o sócio errado, o negócio errado, a abordagem errada, etc. Existe uma lógica em tudo. A ciência descobriu tudo o que descobriu até hoje procurando a lógica por trás do fenômeno. É por isso que dá para saber se um negócio dará certo antes de fazê-lo. Existem regras mercadológicas, econômicas, etc. Não é tentativa e erro. Isso sai muito caro. É aplicação de pura ciência no mundo dos negócios, vendas, etc.

E tudo que se faz tem consequências. Avaliar as consequências antes que aconteçam é sabedoria. Os idosos antigamente eram reverenciados porque tinham a experiência e a sabedoria advinda dela. Enxergavam longe o que aconteceria. É preciso avaliar com calma e isenção de ânimos (sem ego) o que se pretende fazer. Fazendo isso saberemos exatamente qual a reação e as consequências. Então podemos tomar a decisão de fazer ou não. Isso é sabedoria.

Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores