Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Prosperidade e Alquimia XII




Prosperidade e Alquimia XII

Mortificatio

Normalmente se tem uma lista de pré-requisitos a serem cumpridos para que a pessoa se ache feliz. Tudo que estamos detalhando nesta série é a fórmula para ser próspero e feliz em todas as áreas, independente de tempo e dimensão em que estejamos. Existe uma profunda sabedoria no conhecimento da Alquimia. Durante séculos esse conhecimento foi acumulado e testado. Foi fruto de muita análise e meditação. 

O que é mais importante na vida? Qual a prioridade máxima? Como é a lista de valores? Esta é a decisão mais importante que existe. Quando essas perguntas foram respondidas não existe mais dúvida sobre a validade da Mortificatio. 

Mortificatio acontece na maior parte das vezes depois que a pessoa teve contato com o mal. Por exemplo, quando a pessoa não acredita em magia negra e então vê-se alvo de uma. Isso é o que se chama “magia de redenção”. O sofrimento causado por qualquer magia negra também tem seu outro lado que é a conscientização de quem é alvo. A partir daí a pessoa passa a ter uma nova visão de mundo. A Mortificatio é essa nova visão de mundo.

O mal que está na sombra psicológica precisa ser dissolvido. Algumas vezes não basta a Calcinatio nem a Solutio. É preciso algo mais forte e impactante. Quando vamos a um velório estamos num procedimento de Mortificatio. A visão de uma pessoa morta tem um impacto poderoso em nosso interior para nos incentivar a destruir a sombra que existe em nós. Os resultados da Mortificatio podem ser evolução, redenção, renascimento, expansão da consciência e por incrível que pareça, alegria. O lado da sombra tem o potencial da luz dentro de si. A Luz brilha no escuro. O ego deve optar pela Luz. Quando o ego olha para si mesmo e percebe a sombra ele está pronto para escolher a Luz. É uma decisão consciente de opção pela Luz. Evidentemente que esta é uma batalha de tudo ou nada dentro do ego. Entre a Luz e as trevas. Por isso o nome Mortificatio. É uma batalha de vida ou morte. O ego quer ser o centro do universo e somente um procedimento arquetípico como a Mortificatio pode resolver isso. Esta é a Opus que o nosso espírito deve empreender. Mesmo que nosso ego não queira fazer isso. 

De vez em quando temos problemas e sofrimentos. Eles nos fazem crescer. Se os aceitarmos como parte da nossa Mortificatio sairemos mais fortes. É assim que a espada é forjada. Quando aceitamos de livre vontade a Mortificatio damos um grande passo na nossa evolução. Embora possa ser desagradável e doloroso vivenciar isso. É inerente ao processo de evolução enfrentar estas situações. Mais uma vez devemos olhar além da Mortificatio. Deve ser vista como uma semeadura que terá uma colheita farta. A semente é o símbolo da Mortificatio. O resultado da Mortificatio é a Pedra Filosofal.

O procedimento de separação do ego da Psique é também uma Mortificatio para o ego. Embora neste momento ele não tenha noção disso. Mas é o começo. Quando o ego entende isso acontece uma epifania. Não há mais dualidade nem opostos. Tudo é um só. O ego está unido ao Self. O soltar dissolve as ilusões. Na prática soltar é Moritificatio. Só que uma Mortificatio feita da forma mais elegante possível. Por isso o soltar é fundamental para a Individuação. O soltar consciente transformando a própria vida e tornando-se dono dela. Este é o começo da prosperidade infinita.

domingo, 24 de julho de 2016

Prosperidade e Alquimia XI



Prosperidade e Alquimia XI

Sublimatio

Sublimatio é o procedimento do elemento ar. Não tem nada a ver com a sublimação de Freud. Que é uma compensação, troca, substituição de um sentimento ou impulso por outro.

Sublimatio é elevar o espírito em direção ao Todo. É a busca da perfeição, da união, da unificação, soltando tudo pelo caminho. Sabemos quem é a pessoa pelo que ela solta. E para isso a pessoa precisa conhecer a si mesma. Somente assim ela será dona de si mesma. Isso tem de ser feito de forma consciente e intencional. 

Pensava-se que era preciso espiritualizar o corpo, mas a questão é outra. O corpo já está espiritualizado. Somente a pessoa não percebe isso. A substância última do corpo, a prima matéria, é o Todo. Tudo já está espiritualizado. O que falta é o reconhecimento disto. A questão aqui é que esse reconhecimento muda tudo. E mudança é uma coisa da qual o ego foge desesperadamente. A manutenção do status quo é uma coisa sagrada para o ego. A zona de conforto é sagrada para o ego. Tudo que ameaça isso é visto como a coisa mais perigosa que existe. Por isso a Alquimia foi relegada ao esquecimento praticamente.

Para fazer a Sublimatio é preciso um certo distanciamento da realidade. Soltar a realidade para poder olhar em perspectiva. Exatamente como fazem os historiadores. Um dos maiores desafios dos historiadores é determinar o grau de ignorância de uma época. Porque as pessoas agiam daquela forma? Com a visão de hoje fica fácil dizer que deveriam ter feito assim ou assado, mas o que ignoravam naquela época? E o que ignoramos hoje? Os mesmos erros são cometidos por causa do que é ignorado hoje.

A Sublimatio é soltar. Elevar-se, desapegar-se, etc. Fazendo isso conseguimos dar saltos evolutivos e ao mesmo tempo ficamos mais eficientes para lidar com os problemas concretos do dia a dia. Quanto mais a pessoa solta mais produtiva é. É uma coisa óbvia. Se colocamos pressão e ansiedade dificultamos tudo, pois fica uma coisa antinatural. Um time de futebol que entra em campo desesperado para ganhar dificilmente ganhará. Fará tudo de forma precipitada, atabalhoada, cada um tentando resolver por si mesmo, sem jogar em conjunto, com pressa e sem eficiência. Ao contrário se o time entra em campo alegre e feliz por simplesmente jogar bola fará tudo com a maior eficiência possível. Se ganhar ganhou se perder perdeu, está tudo bem. Deu o melhor de si. É isso o que importa. No seriado “Spartacus”, na última batalha há uma conversa entre Spartacus e o General Romano, que diz que ele já perdeu. Spartacus responde que lutará o melhor que pode e que isso é o que importa (citado de memória). E é exatamente isso que importa. Lutar o bom combate. Spartacus lutava pela liberdade própria e dos demais escravos. Isso é Sublimatio. Já havia deixado para trás a própria vida. Quando não atravessou os Alpes já sabia que não tinha como vencer o Império, mas o importante era o exemplo. E por isso é lembrado até hoje!

A Sublimatio é a busca pela Pedra Filosofal. A única coisa que realmente importa. Para isso é preciso uma total transformação interna da física do ser. Limpar todos os átomos, quarks, etc. E isso deve ser feito conscientemente e facilitando a limpeza. Mais uma vez: o ego foge disso de todas as formas. Praticamente nenhum ego faz isso de livre e espontânea vontade. Somente depois de muito sofrer é que decide soltar. Exatamente como o empresário que precisa falir para soltar a pressão que põe nos negócios. Ou aquele que quer pagar as dívidas e não consegue relaxar. Quanto mais pressão puser menor o resultado. As dívidas já são um sinal de pressão que se pôs para ter resultados. Quanto mais se pensa nas dívidas mais dívidas aparecem. É preciso soltar tudo. Então pode-se trabalhar com alegria e resolver tudo. Além do bem e do mal. Além das dívidas. Além dos resultados. Além de ganhar ou perder. Na verdade, a ansiedade é o cozimento da Sublimatio. O ego é cozido até ficar no ponto em que solta tudo. Se o ego soltar antes não precisa ser cozido. O ego se desespera por não conseguir o que quer. E é assim que no fim ele soltará tudo. Só que não é preciso ser desta forma. É possível soltar antes.

Fala-se que o espírito está preso na matéria. Ele somente está preso por causa do apego. Se soltarmos conscientemente podemos entrar e sair da matéria e trabalharmos dos dois lados da realidade. É o apego que impede isso. A Sublimatio é esse desapego. Pode-se chegar nisso em pouco tempo ou levar muitos milênios. A questão é que a Sublimatio está funcionando o tempo todo. O ego está sendo trabalhado para soltar. Lentamente, gradualmente, segundo a segundo, encarnado ou desencarnado, a roda gira sem parar. Como um bebê que ao nascer é muito pequeno e indefeso, mas segundo após segundo ele cresce. Sem perceber os pais verão aquele bebê tornar-se um adulto. Continuarão se referindo a ele como a criança, mas já é um adulto. Amadureceu dia a dia. A Sublimatio faz isso. Só que em termos de milênios. O bebê pode impedir seu próprio crescimento? Não. É a vida. Ele terá de crescer. Da mesma forma a Sublimatio atua.

É preciso soltar. Mas, não é uma coisa de soltar o mundo material ou a Terra e romanticamente querer voltar para o lado espiritual ou dissolver-se no universo ou descansar pela eternidade ou qualquer outra concepção. Pode-se ficar preso do lado espiritual, ter apego no lado espiritual da mesma forma que tem apego aqui. Ou pode-se ter apego a ficar em alguma das dimensões da realidade ou nas dimensões astrais inferiores. O problema é o apego. Não é o local, nem o emprego, nem qualquer outra condição. “Estar no mundo e não ser do mundo”. Somente assim se pode fluir com o universo. Fluir é viver intensamente o momento presente, estar focado no aqui agora totalmente, focado no que faz. O sentimento de fluir é o que se costuma chamar de felicidade. De estar feliz naquele momento. O segredo aqui é focar no aqui e agora. Como o Zen explica. O arqueiro que se torna um com o arco e a flecha. O dançarino que se torna um com a dança. O musico pelo qual a música passa por ele. Ele é um com a música, um com o arco, um com a bola e a cesta de basquete. Por isso são cestas sagradas. Essa unificação é ser feliz. Isso é soltar todo o resto. E isso pode ser feito em qualquer situação: comendo uma refeição podemos estar totalmente centrados no alimento e na sua realidade, sua textura, seu aromo, seu paladar, etc. Centrados no trabalho que estamos fazendo de uma maneira que não sabemos mais se é noite ou dia, se temos fome ou não, se estamos cansados ou não. Esse focar desta forma é a Sublimatio. 

Essa forma de ver a realidade permite também dissociar-se de si mesmo. É possível estar centrado no ato e ver-se de fora. Sair do corpo e ter a visão da perspectiva global. Entrar e sair do corpo à vontade. Tornar-se um corpo ou ficar sem forma. Adotar a forma que se quiser mantendo a consciência intacta. Isso tem de ser feito de forma consciente. Não é uma fuga da realidade. É estar focado na realidade. Quem foge da realidade voltará a ela de uma maneira ou outra. Nenhuma fuga funciona. Nenhum meio de fuga funciona. 

Todo ritual de morte/renascimento é para provocar a Sublimatio. Para que a pessoa consiga ver o grande quadro da vida. Entender todas as correlações, administrar todas as variáveis. Neste ponto entram os Arquétipos que nos permitem vivenciar existências eternas sem limite de tempo e espaço. Podemos partilhar da vida do Arquétipo como ele também pode da nossa. É uma troca em que todos ganham. Podemos ter a vivência eterna do espírito ao mesmo tempo que temos uma vida temporal no continuum espaço/tempo. Não é preciso libertar-se da matéria ou do corpo. É estar além. O Todo já está em tudo. É irrelevante a forma. Essa é a libertação final.


sexta-feira, 22 de julho de 2016

Prosperidade e Alquimia X



Prosperidade e Alquimia X

Coagulatio

A Coagulatio é o procedimento do elemento terra. O aterramento da pessoa. Quando a pessoa vai nascer ela precisa da Coagulatio. Se isso não for vivenciado a pessoa ficará com um pé nesta dimensão e outro na outra. É o que acontece quando perguntamos a uma pessoa o que ela quer fazer e ela responde: não sei. Quer passear? Não sei. O que quer da vida? Não sei. E assim por diante. 

Sem a libido não é possível fazer a Coagulatio. O espírito precisa desejar estar aqui. Só assim terá as experiências que precisa para sua evolução. Tem de haver uma transformação para que a pessoa fique aterrada. Caso contrário poderemos ter vários níveis de alienação em relação ao aterramento. Para se realizar o que se veio fazer é preciso total aterramento. Viver com os pés no chão. Imersos na realidade. O desejo de viver é que faz a Coagulatio. O desejo faz o colapso da função de onda. Sem o desejo não haverá imersão na matéria. Em última instância o espírito precisa fazer um esforço para desejar, somente assim poderá encarnar. A dificuldade de fazer os ursos panda procriarem é que já não tem interesse na matéria. Estão mais do outro lado do que deste. Completamente diferentes dos leões que procriam sem parar. O panda está longe da Coagulatio e os leões estão coagulando sem parar. Quando o Todo emana ele coagula. Transforma da energia primordial, prima matéria, em algo com massa (Bóson de Higgs, Quark, próton, átomo). Da mesma forma que o Todo coagula nós também temos de coagular para sermos quem somos. A coagulação é a confirmação do ego. Para que exista ego é preciso a Coagulatio. O ego está fixado e pode começar seu desenvolvimento. 

De uma certa forma a Coagulatio é uma maneira de Calcinatio. O espírito coagulado terá de lutar pela vida.

A Coagulatio acontece pela ação da velocidade. A frequência de vibração é que faz a coagulação. Baixando a frequência do Oceano Primordial é que podemos ter a matéria densa (nosso universo). Essa ação incessante é que causa a coagulação. Como bater os ovos para fazer omelete. O mergulho na realidade da matéria é feito com a imersão no tumulto da matéria condensada, do mundo material, a ansiedade, a tensão, a luta, a ação, a sobrevivência, tudo isso é que faz coagular. E assim o ego é fixado. Se uma pessoa não for exposta a tudo isso terá um ego fraco ou inexistente. Será um humano sem ego. Sem espírito de luta. É preciso ter um ego forte para poder fazer a Individuação.

O Self precisa da coagulação para se tornar um ego. Somente assim este ego poderá caminhar na direção da Individuação. Que é o Self Individualizado. O Todo e a Parte. Para que a individuação aconteça o ego precisa ficar inconsciente de si mesmo. Talvez isso seja difícil de entender. Enquanto houver consciência do ego não pode haver individuação. O ego tem de desaparecer, ficar inconsciente, soltar o mundo. Desta forma o ego poderá ser assimilado pelo Self e os dois serão Um. 

É preciso que o espírito seja livre e independente, sem nada que o impeça de ser ele mesmo, para que possa se unir ao Self. Este é um trabalho puramente espiritual. A decisão de unir-se ao Self é a coisa mais importante que existe na vida do espírito. 

Aquelas pessoas que tem desejo já estão coaguladas. Não precisam deste procedimento. A libido coagula. Somente então é que pode haver a calcinação e a diluição do ego. Os espíritos que não querem encarnar precisam desenvolver em si mesmos os desejos pela carne. É um serviço que prestam para o Todo. É preciso encarnar para ter evolução. É uma espiral de crescimento eterno. Uma espiral tem vários degraus de morte e renascimento. É preciso nascer e sorver a vida. Isto faz parte da Harmonia Universal. Quando a pessoa quer ir embora desta dimensão é uma fuga da Coagulatio. Terá de começar tudo de novo!

A matéria foi associada com o mal, mas isso é uma distorção. A matéria é apenas a expressão sólida do Todo. O Todo está em todas as dimensões e pode assumir qualquer forma e vibração. Para que a Parte pudesse evoluir é que é preciso coagular através do desejo. É evidente que o lado da sombra faz parte da coagulação. Um espirito sem sombra tem muita dificuldade em coagular e manter-se assim. Manter a forma coagulada implica num enorme esforço para um espírito sem desejos. Mas, a evolução pessoal precisa da coagulação. Não se deve evitar isso. “Estar no mundo, mas não ser do mundo”. É possível estar coagulado e ainda assim soltar o mundo. Essa é a perfeição. 

Outra questão que precisa ser resolvida é que estar coagulado não é um castigo. É uma oportunidade de crescimento. Não há nada de errado com a matéria e a encarnação. Faz parte de um imenso plano de desenvolvimento pessoal do Todo. Existem coisas difíceis de entender para uma mente humana. É preciso transcender isso. Da mesma forma que se acha que as formas de viver na Terra são as únicas que existem no universo. Cada planeta tem sua maneira de viver, sua economia, sociologia, pedagogia, sexualidade, etc. Alguns completamente diferentes do que existe aqui. Tudo isso faz parte do Todo e todas as partes são importantes para a harmonia universal. 

Somente o que está coagulado perfeitamente é que pode ser transformado pelos outros procedimentos alquímicos. Enquanto a pessoa resistir à coagulação ficará paralisada. 

Os relacionamentos de todos os tipos coagulam. Forçam um aterramento. As emoções coagulam.

Para que a pessoa possa viver um Arquétipo é preciso estar coagulada. Assim poderá ter contato também com os outros Arquétipos que fazem parte da vida dela. Desta forma ela poderá incorporar outros Arquétipos. É o que acontece com uma transferência de informação. A pessoa somente poderá aproveitar isso se estiver plenamente coagulada. Caso contrário de que adianta receber a informação?

O espirito não está preso na carne. Está coagulado para crescer. É preciso mudar a visão negativa sobre a realidade. Isso não exclui que existe um aspecto de redenção na coagulação. O universo é benevolente. Quando a Coagulatio está terminando a pessoa sente que está pronta para partir desta dimensão. É uma coisa natural sem forçar. Não é uma fuga. É o soltar da coagulação. Naturalmente. 

Finalmente temos a questão da quantidade de realidade que uma pessoa pode assimilar num dado momento da sua história. É preciso assimilar a verdade passo a passo. A quantidade de informação é infinita. Provocaria uma overdose que não seria benéfica. Por isso a expansão da consciência é gradativa. Quando a pessoa está pronta o mestre aparece. A pessoa encontrará o livro que precisa, a pessoa certa, o trabalho certo e assim por diante. Não se deve forçar a evolução. O Todo está no comando de tudo e sabe o que cada pessoa pode assimilar naquele momento. E prove tudo isso. Nossa parte é nos abrirmos ao máximo para evoluirmos na maior velocidade possível no momento.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Prosperidade e Alquimia IX



Prosperidade e Alquimia IX

Solutio

Este procedimento é referente ao elemento água. Da mesma forma que Calcinatio é do fogo. Solutio é a diluição do ego para que se possa fazer os outros procedimentos. É muito mais fácil do que Calcinatio, que é um procedimento muito forte e externo. Uma pessoa numa guerra está em calcinação. Haverá uma transformação do ego, mas a um custo enorme. E muitas vezes não para melhor. Poderá haver um endurecimento do ego tornando tudo mais difícil no futuro. Por isso a melhor opção é Solutio. Dissolver, liquefazer, diluir, transformar de forma sutil e indolor. Embora pareça que o ego continua existindo normalmente, na verdade ele está dissolvido no Self. Pode-se fazer compra no supermercado, mas quem está comprando é o Self. Em diversos níveis de Individuação. Até a dissolução total. Este é o nível do Co-Criador Consciente. Quando não existe mais ego. Só existe o Self.

A Solutio em água é como estar no ventre materno. Imersos num líquido dentro de outro ser. O simbolismo aqui é que a Mãe é o Self. É um trabalho de renascimento a Solutio. Por isso o mergulhar na água do batismo ou ser aspergido com ela. Tudo que envolve líquido tem o procedimento de Solutio envolvido. A transformação é muito mais fácil se o ego for reduzido à prima matéria. O Oceano Primordial. Toda personalidade tem em si coisas cristalizadas que são muito difíceis de serem dissolvidas e resolvidas. Um trauma emocional está no corpo emocional e não é pelo corpo mental que será resolvido. Tem-se de atuar diretamente no corpo emocional para conseguir essa transformação. E para isso o melhor procedimento é a Solutio. Ela atua diretamente no corpo emocional mudando profundamente a personalidade da pessoa. Seria como uma desintegração atômica, mas com a Solutio é possível manter a essência da personalidade e faze-la integrar-se no Self. Diluída no Self. 

Essa dissolução tem de ser feita com os aspectos conscientes e da sombra. Tudo tem de ser dissolvido. Se a Solutio for conduzida corretamente não ficará praticamente mais nada da sombra para atrapalhar a Individuação. No estágio final a sombra será totalmente dissolvida. No início o ego intui que está sendo dissolvido e resiste. É preciso vencer está resistência conscientemente e ir até o fim do procedimento. A questão aqui é que quando mais se aprofunda maior a resistência do ego em ser dissolvido. Porém, é necessário que isso aconteça. 

Na Solutio o inconsciente virá à tona para ser dissolvido. De forma gradativa, mas firme. Passo a passo. É como um afogamento. É desagradável, mas é indispensável para o renascimento. Por isso mergulhar na água é fundamental. Se a pessoa não põe resistência é como mergulhar no oceano nadando embaixo da água. Se resistir é como um afogamento. O ego não quer Calcinatio e também não quer Solutio. Mas, de um jeito ou de outro terá de ser transformado.

Quanto mais desenvolvido for o ego mais ele temerá a Solutio. Pois sabe que será dissolvido e não quer isso. Um ego imaturo achará que é uma coisa boa regredir para o útero da mãe. É o que hoje se chama neotenia (o jovem eterno). Esta atitude infantil pode atrasar a Solutio por muito tempo. Embora o ego maduro ache que é ruim na verdade é a melhor opção. Só que o ego vê isso como muito perigoso para ele.

Toda vontade de desaparecer no Oceano Primordial ou dissolver-se no universo é uma vontade de Solutio. Tomar banho de mar é um simbolismo da Solutio. Jogar as cinzas de alguém no rio ou oceano tem esse sentido. Neste aspecto uma forma é dissolvida e outra nasce dela. Um ritual de morte e renascimento. Os elementos de uma estrela que explode formarão outros planetas e seres pelo universo afora. Tudo se transforma e periodicamente há uma Solutio ou Calcinatio. Somente um ego dissolvido pode receber novas energias advindas da prima matéria. É um rejuvenescimento. 

Um aspecto interessante aqui é que se a pessoa é exposta a uma dose grande de radiação ela sente uma Calcinatio e logo sem seguida uma Solutio. Em poucos dias estará dissolvida. Uma liberação de energia atômica nesse nível pode transmutar completamente o ego em segundos. O medo de radiação é o medo da Calcinatio e Solutio. 

Um ego inflado terá de ser transmutado de uma forma ou outra. Quanto mais ego menor o desejo de ser dissolvido, mas a própria inflação criará situações para Calcinatio ou Solutio. 

A Solutio também é como a assimilação de frequências harmônicas dentro de si. O sujeito passa a conter a outrem. A transferência de informação é uma solutio. Por isso a transformação é lenta e gradual. No caso da radiação é imediata e imensa e por isso é Calcinatio.

Tudo que é maior pode dissolver o menor. Pode conter o menor. É por esta razão que o Todo pode dissolver a Parte. A Parte está contida no Todo. A Calcinatio trabalha na Partícula e a Solutio trabalha na Onda. O resultado será o mesmo. 

Sentir o sofrimento alheio é uma Solutio. Ninguém sai o mesmo depois de sentir isso. É por esta razão que se evita a empatia. A pessoa que assiste ao sofrimento alheio de forma indiferente está lutando contra a Solutio. É óbvio que o Amor é a Solutio. Que provê expansão, criatividade, energia, ação, etc. Toda criatividade levada ao extremo é uma Solutio. O ato criador por si mesmo dissolve o ego. Por isso a resistência ao crescimento criativo. Onde termina a expansão do crescimento? Na Solutio. Uma personalidade bem desenvolvida usará a Solutio para harmonizar toda a existência. É a mesma coisa quando se diz em paz e harmonia.

O fluxo infinito da vida, o vir a ser infinito, é um procedimento de Solutio. Toda vez que sonhamos é um procedimento de Solutio. Onde o inconsciente pode se manifestar procurando a própria Solutio. 

A força criativa do universo, a libido, depende da Solutio para se manifestar. Os bloqueios psicológicos são um sinal de resistência à criatividade infinita do Self. Por isso é preciso dissolver o ego. Para isso é preciso tomar a decisão de agir pro ativamente para que a Solutio aconteça de forma mais tranquila possível. Desta forma nos uniremos ao Self.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Como funciona o universo I



Como funciona o universo I

Joseph Campbell sempre falava sobre a “vida como ela é”. Nua e crua. É lógico que saber como é na realidade é uma coisa chocante para o ego. Normalmente se foge disto de todas as formas. Todas as atividades de fuga da realidade são feitas para não ver o que está diante dos olhos. Como disse Morpheus, a Matrix está diante dos olhos e não veem!

Os alquimistas descobriram isso há muito tempo e descreveram detalhadamente. Jung escreveu intensivamente sobre isso. Estou escrevendo a série sobre alquimia para facilitar o entendimento de algo complexo por sua própria natureza. A Alquimia mostra que temos procedimentos (operações) definidas claramente para que a Individuação aconteça. Essas operações estão em andamento na vida de todas as pessoas. Elas percebam ou não. O trabalho de Individuação sempre está em andamento. A consciência se expande quer o ego queira ou não. O ego está dentro do Todo e não tem escolha. Ele tem de crescer queira ou não queira. Pelo amor ou pela dor. A escolha é do ego, mas o crescimento tem de acontecer. Todos estão inseridos nisso. A metáfora de Jonas e a baleia é exatamente isso. Ele está dentro da baleia queira ou não queira. Se colaborar pode ser mais fácil a vida dele. Quanto mais resiste mais somatização cria.

A Mecânica Quântica é rejeitada exatamente por isso. Porque explica como é a realidade do universo. Por isso divide as pessoas. As pessoas tomam partido imediatamente ao ouvir falar de mecânica quântica. Colegas de escola de 12 anos agridem o colega que falou de mecânica quântica. Todos que já tentaram explicar isso tiveram o mesmo resultado. Tenta explicar para os que conhece! Se fosse aceita o mundo já teria mudado a muito tempo e todos os problemas estariam resolvidos.

É lógico que o ego quando percebe a realidade quer fugir na maior parte das vezes. Enfrentar a realidade envolve raciocinar com inúmeras variáveis. Não existe só dualidade no universo. Existem inúmeras variáveis a analisar em qualquer problema. E isso faz o cérebro ter trabalho. Não é simples como decidir entre comprar uma coisa e outra. Tem de considerar a qualidade, o preço, a forma de pagamento, a durabilidade, para que quero isso, posso comprar outra coisa, existem substitutos, quanto tempo dura, será que fica obsoleto, etc. Variáveis infinitas nas coisas mais simples. O ego detesta isso. Quer coisas simples e fáceis, sem ter que raciocinar.

Então para resolver qualquer coisa o ego prefere soluções aparentemente simples e quer reduzir a complexidade do universo a uma ou no máximo duas variáveis. Isso já é a fuga da realidade. É lógico que isso não funciona, mas para o ego só importa a fuga da realidade. Depois ele tenta outra coisa simples e assim vai a vida inteira.

Toda a história da magia é a história da fuga da realidade. Resolver um problema por um passe de mágica ou magia. Contrata-se um feiticeiro que resolva o problema e pronto. Simples. Só que não funciona desta forma.

E para explicar como funciona são precisos milhares de livros sobre cada assunto, tal é a complexidade do universo. É por isso que existem os resumos ou “receitas de bolo” para facilitar, mas por trás da receita existe uma gigantesca fonte de variáveis infinitas.

Tudo é consciência no universo. Ele é pura consciência. A mecânica quântica mostra como a consciência se torna matéria densa (bóson de Higgs). Portanto, a consciência cria a realidade. Desde o início o Todo emanou inteligências que administram o universo. Desta forma temos uma Hierarquia Espiritual (outras dimensões da realidade) que dirige tudo. E a consciência individual de cada ser, seja partícula atômica, rocha, vegetal, animal, humano, etc., que cria a sua própria realidade dentro das Leis Cósmicas regidas pela Hierarquia. Portanto, tudo tem ordem e harmonia. Ao longo dos milênios de vida cada ser acumula débitos e créditos. Os débitos têm de serem resolvidos (limpados, curados, resolvidos, perdoados, elaborados) ao longo do tempo. Existem inúmeras regras que regem isso tudo.

Então quando uma pessoa quer colapsar algo é preciso verificar se a pessoa tem o nível de consciência que pode colapsar. Se ela entende como funciona o colapso. Vejam o filme “Pu-239” e a dificuldade que é entender o que é pu!

É por isso que “limpar” o inconsciente, os miasmas, os débitos, é fundamental. Sem mudar a consciência é impossível colapsar. A consciência é que colapsa. Se a consciência está cheia de culpas, medos, ódios, invejas, ciúmes, raiva, ressentimento, etc., como poderá criar algo positivo, belo, verdadeiro, amoroso, próspero, etc.?

É por esta razão que é preciso primeiro “limpar” tudo isso para que a própria pessoa possa colapsar o que deseja. Dentro das possibilidades definidas pela Hierarquia. Em vista do currículo de vida da pessoa. 

Portanto, o uso da magia negra para resolver problemas nunca resolve e ainda acrescenta mais problemas. É como chamar um mecânico para consertar seu carro que não irá consertar e terá de ser chamado de novo. Ad infinitum.

Ou a pessoa considera tudo isso: que está debaixo da Hierarquia e que cria com a própria mente a sua realidade, ou procurará soluções aparentemente fáceis e milagrosas.

O único caminho que existe é o da Iluminação Espiritual. A Individuação. Nietzsche descreveu isso e não foi entendido. Acharam que estava falando do Super Homem, quando na verdade estava falando do Ser Individuado. Unificado ao Todo. Além do Bem e do Mal.

Falando nisso, como resolver o problema do mal? Basta solta-lo. O mal funciona com uma hierarquia também. Só que é uma hierarquia de poder. Poder mantido pela crueldade sem limites. Como alguém submetido ao mal (escravo) pode se livrar disso? Simples. Soltando o mal. Ninguém pode dominar alguém que não tem apegos. Solta todos os apegos e será livre. Alexander Soljenitsin falou muito sobre isso: fazer o rosto de pedra. Esta é a forma de soltar o torturador. Se o escravo soltar o apego por si mesmo poderá ser livre imediatamente. Solta o ego e serás livre. Só existe a hierarquia do mal por causa do apego ao ego, ao poder, à ignorância do que é servir ao Todo, trabalhar junto com o Cordeiro. Esta opção está disponível o tempo todo. A escolha é de cada um. E a escolha tem de ser feita. Fugir da realidade já é uma escolha. Portanto, o que é além do bem e do mal? É soltar. Buda, Lao Tsé e inúmeros outros explicaram isso detalhadamente. Mas, quanto tempo durou o impulso do budismo no mundo? Mais ou menos 500 anos. Daí estancou. Porque? Porque fala para soltar o mundo. “Estão no mundo, mas não são do mundo”. Esse é um pensamento que poucos querem pensar. Uma outra coisa: quando se fala do mal parece uma coisa onipotente neste planeta. Força é possível ter, mas Poder, só o Todo tem. Coloca o mal deste planeta dentro de uma perspectiva cósmica. O planeta Terra é um pequeno planeta que gira na borda da galáxia da Via Láctea. As galáxias têm 200 bilhões de estrelas (mais ou menos). Cada estrela tem seus planetas e existem bilhões de galáxias no universo visíveis (mais ou menos 93 bilhões de anos luz de distância). Já foi feito o cálculo aproximado de planetas do universo. É imenso. E isso só nesta dimensão física da realidade. Cada dimensão tem seus planetas. Todos com civilizações de uma forma de outra, nas mais variadas etapas de evolução. Existe vida abundante por todo o universo. Considera o tamanho e a complexidade de tudo isso. Agora vejamos, o mal que falam é apenas deste planeta. Entenderam? São seres que vivem na dimensão espiritual deste único planeta. Qual a importância disto dentro da Ordem Cósmica Geral? E todo o universo está dentro do Todo!

Só que o paradoxo é o seguinte: somente quando se solta é que se tem! Somente aquele que solta é realmente próspero, feliz, realizado, individuado, etc. “Buscai primeiro o Reino dos Céus e tudo o mais vos será acrescentado”. Solta primeiro. De coração. E será acrescentado. Todo apego gerará dor e sofrimento. Não é preciso ser assim. É uma escolha. É pela alegria que o colapso de onda funciona. A Realidade Última é Amor Incondicional. Mas, este Amor funciona através de Leis Cósmicas.

Portanto, a única forma de progredir de forma consistente é através das Leis Cósmicas. Considerando as duas grandes variáveis:

A Hierarquia Espiritual

A consciência individual

É preciso que haja harmonia entre essas duas realidades para que haja prosperidade em todas as áreas. Resistir a isso é inútil e perda de tempo.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Dualidade onda-partícula



Dualidade Onda-Partícula


O filme “Pu-239”, de HBO Films, diretor: Scott Burns, tem uma excelente explicação da dualidade onda-partícula. Além de física, temos sociologia, economia, psicologia, etc. É um filme que todos deveriam assistir. Apenas com uma ressalva: não é um filme para pessoas sensíveis. Mostra a realidade nua e crua.

terça-feira, 12 de julho de 2016

Pura questão de lógica




Pura questão de lógica

Vejamos esta passagem do Evangelho: 

“E estava ele expulsando um demônio, o qual era mudo. E aconteceu que, saindo o demônio, o mudo falou; e maravilhou-se a multidão.
Mas alguns deles diziam: Ele expulsa os demônios por Belzebu, príncipe dos demônios.
E outros, tentando-o, pediam-lhe um sinal do céu.
Mas, conhecendo ele os seus pensamentos, disse-lhes: Todo o reino, dividido contra si mesmo, será assolado; e a casa, dividida contra si mesma, cairá.
E, se também Satanás está dividido contra si mesmo, como subsistirá o seu reino? Pois dizeis que eu expulso os demônios por Belzebu.
E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam vossos filhos? Eles, pois, serão os vossos juízes.
Mas, se eu expulso os demônios pelo dedo de Deus, certamente a vós é chegado o reino de Deus.”

Em inúmeras palestras, postagens, livros, usei exemplos dos Evangelhos de Jesus Cristo para exemplificar como se deve viver. Tem até uma palestra exclusivamente sobre Ele.

Por outro lado, também em inúmeras vezes citei os comportamentos e atitudes dos espíritos negativos que querem destruir o Reino do Cordeiro.

Também expliquei inúmeras vezes que o este trabalho é de Iluminação Espiritual para que todos possam conseguir a Individuação, que é a fusão com o Todo (Deus).

Acredito que tenha ficado claro de que lado estou.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Quadragésimo terceiro segredo da prosperidade



Quadragésimo terceiro segredo da prosperidade

A Arte da Prosperidade: Trabalhar

Pode parecer o óbvio ululante falar que é preciso trabalhar para ser próspero. Mas, a questão é mais profunda do que parece.

Não basta trabalhar num emprego ou negócio. É preciso trabalhar no plano B, C, etc. É preciso ter duas ou três carreiras diferentes. Estudar o tempo todo, criando novos produtos e serviços. Fazer coisas originais e inovadoras. Investir na própria educação. Não ter busca de aprovação. Ajudar aos demais no limite das próprias forças e recursos.

Não se pode depender de nada nem de ninguém. Nem de instituições ou de um emprego ou de um tipo de negócio ou serviço. É preciso diversificar o tempo todo.

O fundamento da prosperidade é soltar. Total desapego dos resultados. Somente assim os resultados virão. Mas, isso não pode ser política, nem técnica, nem tática, etc. Ou a pessoa sente o soltar ou não sente. E é o sentimento de soltar que faz o universo funcionar. Sempre em qualquer lugar ou dimensão. Desapego é o segredo dos segredos.

Juntamente com isso vem o modo de vida frugal. Viver de forma simples, com poucos custos, gastando somente o indispensável, poupando o máximo, em suma uma vida simples. Este é o segredo da prosperidade. Nunca fazer dívidas. Criar um capital para ser independente. Passo a passo, dia a dia, mês a mês, ano a ano.

Importa alguma coisa se estamos num tipo de sistema econômico ou outro? Não importa. Prosperidade não tem nada a ver com teorias econômicas. Mesmo em qualquer sistema baseado em Adam Smith (competição), se a pessoa fizer como descrito acima ela prosperará. Mesmo na Suméria, seis mil anos atrás, se a pessoa viver desta forma ela prosperará. Um dia viveremos num planeta de cooperação como John Nash provou que é possível. Até lá é irrelevante onde estamos. Em qualquer planeta do universo fazer como descrito acima é sucesso garantido. 

O que está explicado aqui é extremamente libertador porque não depende do entorno, nem de outras variáveis, locais, épocas, sistemas, etc. Não depende de nada. Haverá prosperidade em todas as áreas se a filosofia de vida for como a descrita acima. Se a pessoa for como descrita acima ela terá apego à prosperidade? Não terá. E é por isso que prosperará. É por isso que é a Arte da Prosperidade.

Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores